KIKOAUTOS - Multimarcas · Multipossibilidades.
Kiko Autos

Comprar carro elétrico: o que observar antes de tomar esta decisão?

 

“Carro elétrico, um dia você vai ter um” soa meio démodé, mas é uma realidade que as futuras gerações estão fadadas a comprar esse tipo de veículo.

Com as políticas de restrição de países a modelos puramente a combustão, normas cada vez mais severas de emissões e estratégias dos fabricantes, ter um automóvel elétrico será inevitável em um futuro não tão distante.

Porém, este novo amanhã que se desenha acarreta também em novos hábitos. O uso do carro elétrico tende a ser como com qualquer outro, mas devido à infraestrutura atual é preciso observar alguns detalhes, que vão desde carregamento e autonomia, até manutenção.

O que observar antes de comprar um carro elétrico?

Por esta razão, selecionamos o  que observar na hora de comprar um carro elétrico.

 

1. Qual será o uso?

O primeiro ponto para quem vai comprar um carro elétrico é definir qual será a utilidade do veículo para o seu dia-a-dia.

É para ir todo o dia para o trabalho? Só para o lazer no fim de semana? Para levar as crianças na escola ou fazer compras? O tipo de uso é importante para você escolher o tipo de carro elétrico que precisa, tanto em termos de tamanho, como espaço interno e autonomia.

 

2. Calcule o quanto você roda antes de comprar um carro elétrico:

Muita gente morre de medo de comprar carro elétrico porque acha que vai ficar na rua sem bateria. Só que a maioria das pessoas não tem a menor ideia de quanto roda por dia.

Vamos considerar que você, para ir e voltar do trabalho diariamente, percorra 60 km. A maioria dos veículos plugados têm autonomia na casa dos 300 km. Ou seja, você provavelmente rodará uns quatro dias sem preocupações.

Por isso, é importante verificar o quanto você trafega por dia para determinar os carros elétricos que podem atender melhor em termos de autonomia e de tempo de recarga.

 

3. Pesquise bastante:

Isso vale para qualquer compra de carro e com automóvel elétrico ainda mais. Pesquise não só os preços dos veículos, mas também condições de pagamento, se o negócio envolve carregadores e suporte para instalação elétrica, garantia das baterias, autonomia e pós-venda.

Observe também o tipo de plugue que o carro elétrico utiliza para o carregamento. E não esqueça de fazer um test drive para ver se o automóvel agrada em termos de desempenho e dirigibilidade.

 

4. Veja a manutenção antes de comprar um carro elétrico:

Carro elétrico tem fama (e marketing) de manutenção mais simples e barata do que modelos a combustão. Contudo, pesquise sobre os custos fixos das revisões obrigatórias, fundamentais para você manter a garantia do veículo.

E lembre-se que, passada a cobertura de fábrica, não dá para levar o EV para fazer a manutenção em qualquer oficina. Ainda são pouquíssimos os estabelecimentos independentes que mexem em carros elétricos. Ou seja: provavelmente você terá que continuar fazendo a revisão na concessionária.

 

5. Defina onde vai carregar:

É importante fazer um mapeamento com os principais pontos de recarga nos trajetos que você faz no dia-a-dia. Verifique se o plugue do cabo de carregamento do carro elétrico que você vai comprar é compatível com aquele eletroposto.

Além disso, baixe aplicativos especializados em pontos de recarga de EVs. Muitas empresas e startups têm guias atualizados de localização de carregadores, e também de monitoramento para auditar se os mesmos estão em pleno funcionamento e se estão ocupados ou não naquele momento.

 

6. Wallbox:

É importante ter um wallbox em sua casa ou trabalho para um carregamento mais ligeiro do que se feito em tomadas comuns de 220V. Muitos carros elétricos já são negociados com esse tipo de carregador incluso. Outros são cobrados à parte.

Importante que você contrate uma empresa especializada – ou homologada pelo fabricante do carro elétrico – para fazer a instalação correta do wallbox em sua residência ou no condomínio.

 

7. Carregador portátil:

Se você roda muito e não tem uma rotina fixa de quilometragem diária, pondere a compra de um carregador portátil, que pode ser levado no porta-malas. Custa de R$ 2.500 a R$ 5 mil.

 

8. Adaptação após comprar o carro elétrico:

É preciso se acostumar a algumas peculiaridades do carro elétrico. Antes de mais nada, ele não faz barulho. Fique atento porque você vai apertar o botão start do motor e, no máximo, ele vai emitir um sinal na cabine para avisar que o conjunto está em funcionamento.

Também preste atenção ao acelerar. Por ter torque instantâneo, ao pisar no pedal as respostas são imediatas e, muitas vezes, tendem a ser mais brutas do com o que você está acostumado nos veículos a combustão.

 

9. Pé leve:

Por falar em acelerador, se você quer economizar bateria, pegue leve no pedal da direita. O seu modo de dirigir impacta diretamente na autonomia, especialmente para menos se você tiver uma direção mais agressiva.

Muitos carros ainda oferecem modo Eco, ideal para trafegar na cidade ou no trânsito pesado. Já o Sport deixa as acelerações mais espertas,  porém também demanda mais da bateria.

 

10. Aproveite a regeneração:

As desacelerações em carros elétricos dão aquela forcinha para as baterias. A recuperação de energia nessas situações obviamente não vai dar uma carga expressiva ao conjunto, mas contribui para estender a autonomia em preciosos quilômetros.

A maioria dos carros elétricos oferece o modo de condução “B” na alavanca do câmbio. É um dispositivo que otimiza ainda mais essa regeneração da energia das desacelerações e funciona como um freio motor forte.

Conforme a situação no trânsito, com o modo acionado talvez nem seja necessário frear. Ao tirar o pé do acelerador, o sistema já segura bem o carro – pode até parar por completo, dependendo da velocidade – e recupera a energia. Isso fica ainda mais perceptível em descidas de serra, onde vale usar o “B” inclusive para poupar o freio.